Clipping – Setembro 2017

Setembro – Revista Natureza, Edição 356 | Ano 31.
Setembro – Revista In The Mine, Edição 68 | Ano XII.

Clipping – Agosto 2017

10/08 – Coluna Café da Manhã, por Ulisses Aesse, Diário da Manhã.

03/08 – Coluna Retratos, por Fausi Humberto, Diário Central.
02/08 – Coluna Evidência, jornalista Luís Carlos, Diário da Manhã.

02/08– Coluna Paparazzi, jornalista Delson Carlos, Diário de Aparecida

Tecnologia verde que resgata a vida do Araguaia

Tecnologia verde que resgata a vida do Araguaia

Obra de contenção de aterro fluvial e urbanização da orla do rio Araguaia através do sistema Vertical Green Wall Water®.

Jornal Diário da Manhã, coluna OpiniãoPública por Britz Lopes – 12/07/2017

O Rio Ara­gu­aia con­fe­re iden­ti­da­de à Go­i­ás e é nos­so mais im­por­tan­te ma­nan­cial. Co­mo sem­pre ocor­re no Bra­sil, o es­plen­dor da be­le­za na­tu­ral tem com­pa­nhia da de­gra­da­ção do am­bi­en­te. O Rio guar­da em seu lei­to ou­tra con­tra­di­ção. Cor­re por uma das re­gi­ões mais po­bres do Es­ta­do, mas se in­se­re no Cer­ra­do e na Ama­zô­nia, os dois mai­o­res ecos­sis­te­mas do Pa­ís.

Nos úl­ti­mos 40 anos, as ati­vi­da­des eco­nô­mi­cas do agro­ne­gó­cio e do tu­ris­mo vêm al­te­ran­do o equi­lí­brio am­bien­tal do Rio Ara­gu­aia. Cer­ta­men­te não se con­ce­be mais a pes­ca pre­da­tó­ria e sé­rie de re­gu­la­men­tos mi­ni­mi­zam os im­pac­tos da in­dús­tria tu­rís­ti­ca. Em re­la­ção à pe­cu­á­ria, vo­ca­ção his­tó­ri­ca da re­gi­ão, e mais re­cen­te­men­te a agri­cul­tu­ra ir­ri­ga­da, ain­da há mui­ta água pa­ra cor­rer até que se pos­sa fa­lar em sus­ten­ta­bi­li­da­de.

Nes­te sen­ti­do, são as ações que mais com­pro­me­tem a sa­ú­de do Ara­gu­aia, uma vez que cau­sam des­ma­ta­men­to, que pro­vo­cam as­so­re­a­men­to das mar­gens do ma­nan­cial, que por sua vez per­de ca­pa­ci­da­de de va­zão. Com me­nos água, o Rio vê di­mi­nu­í­da a bi­o­di­ver­si­da­de e as­sim se­gue pa­ra mor­te anun­ci­a­da em cur­to tem­po. É pre­ci­so di­zer que é pos­sí­vel ha­ver pro­du­ção sus­ten­tá­vel e a mai­or pro­va do ar­gu­men­to foi a re­a­li­za­ção das ini­ci­a­ti­vas do po­der pú­bli­co e dos agen­tes eco­nô­mi­cos na re­cu­pe­ra­ção das nas­cen­tes do Ara­gu­aia. Há 20 anos gi­gan­tes­cas ero­sões eram de­sas­tre am­bien­tal sem pre­ce­den­te, ho­je tra­ba­lho de re­cu­pe­ra­ção e con­ser­va­ção am­bien­tais é al­go no­tá­vel no Bra­sil.

Re­cen­te­men­te, ini­ci­a­ti­vas iso­la­das, mas bem-vin­das quan­do se tra­ta de pre­ser­var o Gran­de Rio, dão mos­tras de que o Ara­gu­aia po­de dei­xar de ser do­en­te em es­ta­do ter­mi­nal. Dois bons exem­plos vêm de Ara­gar­ças e Aru­a­nã, on­de as pre­fei­tu­ras re­cor­re­ram à en­ge­nha­ria na­tu­ra­lís­ti­ca pa­ra re­cu­pe­rar áre­as de­gra­da­das. E tem se­de em Go­i­ás a em­pre­sa res­pon­sá­vel pe­las obras. Fun­da­da na Itá­lia, ho­je ins­ta­la­da em Se­na­dor Ca­ne­do, a Ver­ti­cal Gre­en do Bra­sil é de­ten­to­ra de know-how pró­prio pa­ra fa­zer res­tau­ra­ção de am­bi­en­tes im­pac­ta­dos, de­vol­ven­do-lhes as con­di­ções de equi­lí­brio di­nâ­mi­co, pri­o­ri­zan­do a in­te­gra­ção en­tre a en­ge­nha­ria e a eco­lo­gia, res­ta­be­le­cen­do a bi­o­di­ver­si­da­de lo­cal e a con­ti­nui­da­de da vi­da.

Ins­ta­la­da no pa­ís des­de 1999, a Ver­ti­cal Gre­en do Bra­sil exe­cu­tou du­as gran­des obras em im­por­tan­tes mu­ni­cí­pios ri­bei­ri­nhos: uma de con­ten­ção de ater­ro flu­vi­al e ur­ba­ni­za­ção da or­la do rio Ara­gu­aia, atra­vés do sis­te­ma Ver­ti­cal Gre­en Wall Wa­ter, em Ara­gar­ças, e ou­tra em Aru­a­nã, com sis­te­ma per­me­á­vel pa­ra re­ves­ti­men­to e con­tro­le ero­si­vo de ca­nais flu­vi­ais. Atu­al­men­te, a em­pre­sa atua em to­do o ter­ri­tó­rio na­ci­o­nal, com equi­pe es­pe­cia­li­za­da, equi­pa­men­tos e in­fra­es­tru­tu­ra ope­ra­ci­o­nal, con­sa­gran­do-se co­mo re­fe­rên­cia no Bra­sil, a exem­plo da Eu­ro­pa, co­mo pi­o­nei­ra na apli­ca­ção de so­lu­ções téc­ni­cas di­fe­ren­ci­a­das.

Ao lon­go des­ses anos, fo­ram pes­qui­sa­das e de­sen­vol­vi­das tec­no­lo­gi­as e ma­te­ri­ais pró­prios pa­ra a pre­ven­ção e so­lu­ção dos mais di­ver­sos pro­ble­mas am­bien­tais, pri­o­ri­zan­do a ino­va­ção e o de­sen­vol­vi­men­to téc­ni­co das obras, sem­pre em aten­ção ao prin­cí­pio da sus­ten­ta­bi­li­da­de, atra­vés de in­ter­ven­ções eco­lo­gi­ca­men­te sus­ten­tá­veis, so­ci­al­men­te jus­tas e eco­no­mi­ca­men­te vi­á­veis, a fim de con­tri­bu­ir com a me­lho­ria de vi­da e com o meio am­bi­en­te que a sus­ten­ta.

(Britz Lo­pes, co­lu­nis­ta e edi­to­ra da Re­vis­ta Pe­o­ple e co­la­bo­ra­do­ra do Di­á­rio da Ma­nhã)

Clipping – Julho 2017

13/07 – Coluna #hastag, por Fausi Humberto, Diário do Estado.

12/07 – Coluna OpiniãoPública, por Britz Lopes, Diário da Manhã.

Edição de 09 à 15/07 – Coluna Bazar, por Daniela Martins, Tribuna do Planalto

Edição 006 – Coluna News, Revista In Magazine por Nícholas Bárhtras.

12/07 – Coluna Retratos, por Fausi Humberto, Diário Central.

05/07 – Coluna Empresa&Produtos, do caderno de Economia, O Popular.

05/07 – Coluna Paparazzi, jornalista Delson Carlos, Diário de Aparecida

04/07 – Coluna Evidência, do jornalista Luis Carlos, no jornal Diário da Manhã.

URBAN WALL

URBAN WALL – Lançamento Vertical Green na CASACOR Goiás 2017



Você vai se inspirar com esse lançamento da Vertical Green.
A Urban Wall é uma linha de blocos de concreto que alia estética e função em um mesmo produto. Composta por blocos estruturais (Garden Block e Geoblock) em formatos diferentes, que possibilitam diversas combinações entre si.

A versatilidade é um grande diferencial desse produto, ideal para muros de arrimo vegetados e fachadas verdes. A linha prima pela praticidade e pelo belo efeito visual.

Confira essa novidade da Vertical Green na CASACOR Goiás, no espaço Varanda da Oliveira, da designer de interiores Mayara Oliveira.

+ Informações: verticalgreen@verticalgreen.com.br
Representante Goiás: Ribbeck Representações /(62) 3229.4362